quarta-feira, 30 de abril de 2014

Um sentimento adverso que nasce junto com o amor é advindo de uma raiva inconsciente de alguém ter nos roubado de nós próprios.

==

Por que somos vazios? Somos vazios porque não vivemos nunca o agora. Somos ansiosos, melodramáticos, pessimistas, arrogantes e estúpidos por vivermos num tempo não palpável. O que fizemos de errado ontem e o que faremos de bom amanhã nos impedem de fazer o que tem que ser feito agora. 

terça-feira, 29 de abril de 2014

O seu relacionamento não está a contento por sua causa.

Dê-se de verdade e verás que cobra no outro o que falta em você.

==


Como um burro de carroça usando antolho para não enxergar o que tem do lado, você seguiu a reta longa de uma rua sem vida e o que mais queria estava do lado e você não virou a esquina.

segunda-feira, 28 de abril de 2014

E saber que todo dia alguém entristece porque não sentiu amado e não soube , que na verdade, enlouqueceu, porque não se permitiu.

==


Não é para confundir você, mas...É feliz mesmo ou só se acostumou com a situação?

domingo, 27 de abril de 2014

Eu não sei se vou chegar, mas já não importa tanto, aprendi ir com passos mágicos.

==


Parece até não ser bom pelo medo que dá, mas quem não quer se dar por inteiro num novo amor?

sábado, 26 de abril de 2014

O nosso problema é continuar fazendo “bilu, bilu, tetéia” em que tá precisando de palmadas.

==


Não seja uma mera cumpridora de normas! Chega! Hora de você se rebelar e alçar voos que lhe fará enxergar um mundo mais amplo.

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Tão metido e vaidoso, mas que ironia, morreu atropelado por um fiat 147.

==

O que não estava nos planos e de repente se apresenta como algo convidativo. Recusar por quê?


quinta-feira, 24 de abril de 2014

Quantos e quantos amores acabados na rotina tão mecanizada que os casais nem sabem que acabaram?

==


Quer perder o amor de alguém? Faça comparações!

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Lá fora um carro de propaganda toca uma música brega onde fala de um sofrimento de um homem que perdeu a mulher amada. Muitos têm pena desse homem, mas muitos tem inveja dele. Há muitos que não amaram e que não tem lágrimas prontas por não ter por que chorar.

“Nunca teve amor, Não sentiu o calor de alguém. Nem sequer ouviu a palavra carinho,”.

==


Há momentos em que a razão seria nossa, mas agimos de forma tão intempestiva e impensada que perdemos o mérito... com toda a razão.

terça-feira, 22 de abril de 2014

Você tem medo de sentir e de gozar e eu é que sou errado, sem-vergonha?

==

Você não precisa da minha aprovação e nem da de outra pessoa. Você é poderoso, você pode, você deve.

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Ninguém trai porque não ama mais a sua mulher, não trai por que quer procurar sabores diferentes, não trai porque a outra é mais bonita e mais gostosa. Quem trai, trai porque não se ama e nem se respeita o suficiente.

==

...Verdades que murmuram nos nossos ouvidos indo em direção aos nossos pensamentos, verdades que imploram por atitudes nossas.

E o que fazemos?


Acovardamos com medo de um novo tentar, de um recomeçar... E vem aquela sensação do abandono que cala a nossa alma, que paralisa a nossa vontade e covardemente deixamos tudo como está, pensando assim: “ Ah, não ta tão ruim assim”, mas interiormente sofremos, choramos, porque sabemos que mentimos, sabemos que não é isso que a gente queria.

domingo, 20 de abril de 2014


Agenda “religiosa”

Vou rezar com você no domingo, e lhe amar na Segunda, freira

==


Que seja eterno, enquanto duro, não é linda ninfomaníaca?

sábado, 19 de abril de 2014

Incontinência animalesca

Larga, tixa!
Já, Caré

==


Não adianta eu me procurar em mim, não me acho, é preciso me ter em você.

sexta-feira, 18 de abril de 2014

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Quem somos nós?

C ( r )omo (s)somos

==


Os homens verdadeiros são todos aqueles que conseguem conquistar sua originalidade, mas depois, enlouquecem, porque não sabem o que fazer com ela nesse mundo de mentira.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Não chore!

Há fins que são os verdadeiros começos.

==


Certos casamentos é como um lugar seguro, mas com vista para o nada.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Não é que existam segredos que são guardados para sempre, há segredos inconfessáveis por eles mesmos, entende?

==


Se a sua procura desenfreada por dinheiro priva você de conviver com as pessoas que você ama, de apreciar um nascer do sol, de ouvir o canto dos pássaros, de ver o colorido de um arco-íris e de tantos momentos que não tem preço, você não sabe o que é ficar rico, companheiro.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Quem não se perde de amor, se acha na dureza da razão.

==


Engano de quem pensa que me gabo de ser mulherengo e livre. Pudera eu ter uma mulher que me marcasse como dela e me mantivesse num espaço que ela dominasse.

domingo, 13 de abril de 2014

Crente? Ateu? Católico? Evangélico? Religioso é quem é justo e faz o bem.

==


Não existe felicidade ou infelicidade, motivação ou desânimo, existe temperamento e estado de espírito.

sábado, 12 de abril de 2014

Não tem que se perguntar se valeu à pena, o importante é que você fez, não ficou passivo e imobilizado pensando no que poderia ser.

==


Não chame de falsa uma promessa que lhe foi dada, mas você não ajudou acontecer.

sexta-feira, 11 de abril de 2014

As pessoas sofrem mais com dores inventadas e não são capazes de inventar um amor.

==


Parto natural, com fórceps se preciso for, mas renasça para uma nova vida.

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Há parte do caminho que devemos criar as próprias asas e caminhar com as próprias pernas, portanto, não fique esperando pela transformação do outro, porque você não poderá pegar essa carona.

==


Trilhar o caminho seguro que não me dá gosto de aventura e não me leva a lugar nenhum? De jeito nenhum! Escolho a estrada com abismos dos dois lados e ziguezagueio perigosamente nessa estrada cheia de amores, companheiro!

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Nas minhas quedas não uso paraquedas, mas sei onde vou espatifar.

==


O que será isso que lhe asfixia, mesmo você respirando normalmente?

terça-feira, 8 de abril de 2014

Fragilidade


Sinceramente, não sei ao certo o que se passa comigo. É como se eu estivesse me perdendo aos poucos. Uma sensação de fracasso, frustração e perda dos sentidos da minha existência. Eu não consigo mais me sentir. Preciso de tanta coisa imaterial, sabe? Estou perdido, sem foco, como se tivesse caminhando num labirinto. Eu queria saber cantar, ou atuar, ou jogar basquete, ou escrever, ou dançar, ou discursar... ou o que for, pra me apoiar nisso e me refugiar dessa dor que sinto. Sinto-me deslocado nos lugares, como uma baleia na terra, que precisa aprender a respirar pra ser aceita e compreendida.
Bom emprego, carteira de motorista, graduação, boa imagem pessoal, falar inglês, desenvoltura nos lugares... não almejo nada disso. Eu queria uma outra coisa que não sei explicar. E a realidade esfrega na minha cara que esses exemplos que citei são sim importantes pra eu conquistar o respeito e admiração junto às pessoas do meu convívio. Admiro você que me lê e encara tudo isso de uma forma equilibrada, consciente e racional. E sabe que conquistar tudo isso não quer dizer nada, no sentido de isso te prejudicar no plano ideológico. Consegue separar muito bem essa convenção à sua busca pessoal e a felicidade que não está (diretamente) relacionada a essas conquistas citadas. Tenho tantos medos... medo inclusive de não ser a pessoa que uma mulher mereça. Não tenho sido uma pessoa leve, animada, divertida, encantadora, especial. Tenho sido ácido depressivo egoísta, etc. Eu não tenho sido o que realmente sou.

Desculpe minha confusão, mas tenho uma necessidade que nenhuma análise racional seria capaz de explicar. Tenho mais um medo, o de me arrepender de voltar dessa viagem interior e de me sentir um idiota maior. De voltar pior.
Eu sempre gostei de ficar só, mas a solidão veio forte, veio a saudade dos amores vividos. Eu me enganava achando que estava livre, quando na verdade, eu fiquei preso na falsa liberdade.

Quero uma mulher de novo, as suas palavras, expressões, seu abraço, sua força, até suas broncas, sabe? Queria me sentir amado. Mais do que sinto agora, distante. Sentir literalmente esse amor. Tenho medo também do universo pregar uma peça em mim. Dessa dor que sinto ser radicalizada com a morte. Não sei o quanto mais vou sofrer com essa dificuldade que tenho de superar essa dor, a esperança está no amor que sinto.

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Barzinhos

De todos os barzinhos que me foi dado conhecer nos meus caminhos, dois foram de longe e sem a menor dúvida os mais extraordinários que conheci: Barzinho Skalla e barzinho do Tio Pedro, ambos localizados na Vila Guilhermina, aqui em Montes Claros. De propriedade de Reinaldo e Haroldo. Figuraças que se tornaram grandes amigos meus.Todo boteco tem cenas pitorescas, mas no caso do Skalla e do Tio Pedro eram especiais, pois quase sempre os seus proprietários é que são os protagonistas dos acontecimentos.

De uma forma geral, o botequeiro não pode ser um homem como qualquer outro. É preciso que ele tenha, antes de qualquer coisa, uma boa dose de paciência e muito carisma. No caso dos proprietários dos barzinhos aqui citados, não faltavam essas qualidades, mas como tudo na vida tem limite, ás vezes eles não se continham.

Vou narrar alguns acontecimentos que eu presenciei:

No barzinho Skalla, duas moças estavam bebendo, e na hora de acertar a conta houve um impasse: uma das moças alegava que Reinaldo estava cobrando uma cerveja a mais, fato que muito o irritou, mas tentando manter a calma explicava que ele não estava enganado e que a conta era aquela mesma. A moça não concordava de jeito nenhum e insinuou que ele estava roubando. Ele perdeu a paciência e começou a discutir freneticamente por muito tempo. Eu e a moça amiga da outra que discutia, tentamos interferir e nada deles nos escutarem, continuando a discussão. Já passado algum tempo, e com os argumentos xingatórios se esgotando, a moça, visivelmente abatida, encerrou dizendo:

_ Vou parar por aqui, seu grande idiota!
Reinaldo para não sair perdendo na discussão, por fim, disse:
_ Idiota? Idiota? Idiota está no meio de suas pernas!

Nesse mesmo barzinho, eu me lembro de uma noite ter recebido dos dois proprietários R$40,00 (Quarenta reais) de cada um que, coincidentemente, me pagavam uma dívida contraída há alguns dias e me pediram para não comentar que haviam me pagado. Até aí, tudo bem. Só que ficamos tomando cerveja até mais tarde e já quando fechavam o caixa, apontava uma diferença contra eles de R$80,00 (Oitenta reais), justamente o valor que recebi deles. Provavelmente ambos pegaram o dinheiro do movimento daquele dia sem comunicar um com o outro, mas como tinham a consciência pesada, não comentaram muito sobre o "prejuízo". Ambos olharam para mim desconfiados, e resignados com o ocorrido disseram: "Deus nos proverá"
O barzinho do Tio Pedro, que antes era de propriedade de minha amiga Tereza, que hoje mora em Caraguatatuba, no litoral paulista, também era o nosso ponto de encontro. Rei e Haroldo depois de irem à bancarrota no Skalla, tentaram uma nova investida e o compraram de Tereza.

Nesse barzinho, o muro tinha na sua parte interna várias pinturas bonitas, o que decorava o barzinho no seu interior. Dentre as várias figuras desenhadas, tinha a de uma fazenda cheia de gado, com um curral de cerca de arame, na qual tinha uma das fileiras arrebentadas, o que deixava a pintura muito original. Estava a turma toda tomando uma cervejinha próxima ao balcão de atendimento, tendo como assunto principal a dor de cotovelo que um dos nossos amigos curtia. Ele estava sentado propositadamente afastado de nós, bem próximo ao muro, quando de repente ele se levantou e saiu em disparada rua a fora, nos deixando embasbacados com a sua atitude. Tivemos que pegar um carro e já alcançá-lo depois da rodoviária, todo ofegante e trêmulo. O levamos de volta e lhe demos um bom banho para recuperá-lo da embriaguez, e quando um pouco melhor ele tentava explicar que correu, porque estava com a camisa vermelha e viu uma das vacas sair do muro, bufando de raiva em sua direção. Começávamos todos a nos preocupar com o seu estado psíquico, uma vez que uma semana a estes fatos ele tinha batido de frente no muro com sua motocicleta, no desenho de uma estrada que tinha ao lado do portão. Mas verificamos mais tarde, que não era nada sério. Quando reatou o namoro com sua grande paixão, voltou a beber pouco e controlar os impulsos. "Cada um curte a dor de cotovelo a sua maneira, ora essa", dizia ele, quando a turma pegava no seu pé para gozá-lo de suas atitudes poucos convencionais.

E por falar em atitudes não convencionais, esse nosso mesmo amigo, que é o sujeito mais "pão-duro" que se pode conhecer, conseguiu irritar Haroldo, sócio de Reinaldo, que é o sujeito mais calmo desse mundo. Haroldo, para morrer de repente, deve demorar três dias, no mínimo. Estávamos tomando uma cervejinha, eu, Haroldo e o dito cujo quando de repente o celular dele tocou, e a namorada exigiu a sua presença em certo lugar, imediatamente. Tínhamos tomado apenas uma cerveja, e ele queria pagar a parte dele na conta, e não sabia o valor. Propusemos a ele dividir o valor da cerveja por três. Ele não concordava, alegando que estava saindo e ainda tinha cerveja na garrafa, e que dessa forma ele pagaria mais do que devia. Haroldo propôs pagar a cerveja, mas eu, de picardia, dei a entender a Haroldo que não pagasse, só pra ver até onde ele chegaria. Pois ele, com a ajuda de uma calculadora, fez uma regra de três composta e mais algumas outras contas para, com precisão, afirmar que tinha consumido apenas 112 ml. Dividiu o valor da cerveja pelo seu volume líquido e depois multiplicou pela tanto que bebeu. Nesse ínterim, a sua namorada já havia ligado mais umas quatro vezes, e eu e Haroldo tomamos mais umas três cervejas.

Pode parecer conversa de botequeiro, mas todos esses três casos foram a pura verdade.


domingo, 6 de abril de 2014

Apaixonada

_ Você é louca por ele, minha filha”
_ Ah, pai, xô nada”

==

Ridículas

_ Cula não faz nada porque acha o amor ridículo.
_ E essa outra aí que ama exageradamente?

_ Ri de Cula!

sábado, 5 de abril de 2014

Consciência

_ Você tem medo da morte?
_ Não! Eu tenho medo do que fui.
_ ?

==

Não existe passadiços para o amor.

_ O que você sente por ela, é amizade?
_ Passa disso. É amor.
_ Assim, de repente?

_ O amor não exige pré...sentimentos!

sexta-feira, 4 de abril de 2014

simpatia é ter fé

sal grosso
arruda
não adianta
Deus é que acode

==

pagando pra ver

pode ser que sim
pode ser que não
Tem que ir para saber


quinta-feira, 3 de abril de 2014

Amor gostoso

Liberado, leve e solto
Como uma pipa no ar
Deliciando na vastidão
Com a cumplicidade da nuvem
Sou eu absorto no seu amor
Saboreando seu jeito dócil
Que me faz flutuar
Na leveza do seu ser


==

Renovação

Ruga aparece
Beleza fenece
Da sua aparência não sou pendente
Mas meu amor cresce
lhe fazendo plástica constantemente


quarta-feira, 2 de abril de 2014

Confusão

_ O dia há para amar.
_ Você não sabe amar de outro jeito?
_Como assim?
_Sem odiar?
_ Mas eu não odeio!
_ Eu sei que você não me deu.
_ Lhe dá?
_ Você que está falando!
_ Falei o que?
_ Que não me deu.
_ ?
_ ..

=

Sendo...agora

_O que fez você ser o que é hoje?
_O que eu não fui ontem!
_ Não entendi!
_ O que eu ainda não sou amanhã!

_ Ah, sim!

terça-feira, 1 de abril de 2014

solidão

café, cigarro, internet
O sono não vem
é a falta de alguém na cama

==

Pedaços

Vou sumir
Desintegrar, inexistir
Todo amor que vai embora
Leva um pedaço de mim

É melhor parar por aqui