sábado, 21 de junho de 2014

Desvario

Meu amor é esparso, é espasmo,
alegria desvairada.
Eu amo como quem odeia:
Desconectado e feroz.

Meu amor é pensamento,
segredo explícito.
Eu amo como quem teme:
Balbuciando e tremendo.

Meu amor é esperança,
certeza enigmática.
Eu amo como quem sabe:
inexistindo e perecendo.

Meu amor é enleio,
enlevo enfurnado.
Eu amo como amador:
Improcedente e sonhador.



Afinal, não tem profissional do amor.

Nenhum comentário: