domingo, 30 de março de 2014

Sem você sou um babaca
Que só conversa babado
Para mim você é basilar
Venha cá, minha bacana
Transforma-me num batuta

Sem você sou um bacamarte
Que só faz baboseiras
Para mim você é beatitude
Venha cá, minha bem-amada
Transforma-me num bem-aventurado

Não quero frequentar baiucas
Nem relacionar com bacantes
Que me deixam com balanite
Venha, tire-me das bas-fonds

Sem você minha vida é uma bruma
Sem você tudo é bulhufas
Venha, dê um sentido a esse borocoxô
Transforma-me num bem-amado