sábado, 27 de dezembro de 2014

Eu e eu mesmo.

_ Temos que agir dentro de um procedimento padronizado e racional se quisermos ter um relacionamento amoroso e duradouro com alguém. 
_ Você tem que agir assim, eu não. Não sou automatizado. Quero é ser feliz!
_ Mesmo que sua rebeldia faça alguém infeliz?
_ Não temos esse poder todo: Sermos os senhores dos sentimentos de alguém.
_ Engano seu. O nosso estado de espírito é muito mais influenciado pelas  pessoas que nos circundam do que de nós próprios.
_ Isso em sua opinião. Para mim a felicidade independe das contingências da vida. Eu não sou feliz ou infeliz porque alguém tenta me impingir isso.
_ Então você não ama e não é amado!
_ Desde quando, alguém que sente senhor de alguém e só obedece a normas, pode amar? 
_ Não confunda esses seus relacionamentos físicos arrebatadores, com sentimentos. Estou falando de um amor puro, sem máculas e jogos de interesse.
_ Você está confundindo obediência, escravidão, consideração e hábitos  com sentimentos. O que chamam de amor para mim é só onde não tem nenhuma exigência. O seu "amor" exige muito. O meu amor pede apenas prazer.
_ O prazer desses seus amores é efêmero, meu caro amigo. E onde tem só prazer não tem amor.  Você não conseguiria amar uma pessoa só por toda uma vida?
_ Nunca se sabe. Eu vivo de paixões. Quem sabe Deus um dia me faça   eternizar uma delas.