sábado, 28 de fevereiro de 2015

Uma arma chamada anzol
Ferro com ponta e haste
Transpassado numa minhoca
Golpeando o não menos desafortunado peixe
Enquanto ele sangra e tenta se livrar do golpe
O homem enche de adrenalina e sorrir
Isso sim é que é diversão de um fim-de semana

==

Eu amei, eu adorei
Fui fundo, não queria saber
Sonhador, acreditei
Ela, como eu, se deu
Vulnerável, excedeu
Não sabemos o porquê
Tudo feneceu
Doeu, doeu, ah, como doeu

Você se gaba, nunca sofreu
Mas seu sorriso é fraco e mentiroso
Não foi como o meu
Minha dor é consequência de pós-gozos
Seus sorridos de pós-nadas

Sim, doeu, mas quer saber?
Como valeu!

==






sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Saudade vai me matar


Você teve que viajar
Com a família noutro país morar
Eu, sem dinheiro, sem posses
Não podia não deixar
Você esperneou, família não considerou
Disseram que sou um homem sem futuro
Erraram
Sem você no presente
Só sou o futuro
O futuro de poder lhe buscar
Sem você
Maluco de amor
Vou para o aeroporto
Esperando dois aviões pousar
Pousam vários, você em nenhum deles estar
Choro, choro, queria poder voar
Atravessar o oceano
Pelo menos lhe beijar e retornar
Não, quem tem boca não vai a Roma
Só quem tem dinheiro
Só tenho amor
Que sem você não sabe voar
Amor, vou aprender a nadar
Eu juro por Deus
Vou lhe buscar!

==


Somos

Somos...
Saudades reprimidas,
Desejos contidos,
Silêncios gritando de dores,
Céus,
Infernos,
O motivo de alegria,
O motivo de tristeza,
Fragilidade,
Mentiras,
Verdades,

Somos...


Acima de tudo aquela enorme vontade de viver um grande amor como todos já sonharam um dia.

==





quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015


Incompatibilidade

Amor e razão
Sentimentos distintos
Não são inimigos
Mas não andam juntos

==

Um amor que dói


Um amor que dói sem a presença da mulher amada
Um coração fervilhando, exigindo a sua presença
Uma vida que ficou fraca, vazia e sem graça
Tento despistar, não consigo, parece uma sentença

Como faz falta as alegrias compartilhadas
O beijo, o abraço, o sexo, a sensação do apaixonar
Um amor que dói sem a presença da mulher amada
Um coração fervilhando exigindo sua presença

Como um amor acaba sem aviso e sem sinais?
Então eu amava pelos dois e não imaginava?
Abandonado, largado ás traças, finjo sorrisos
Por dentro a tristeza dilacera , a saudade judia
Um amor que dói sem a presença da mulher amada



quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015


Quer se encantar?


Tenho nome de príncipe
Tenho nome de rei
Castelo, dinheiro?
Eu nem sei
Mas sou encantado de amor
Ele que é o meu reino

Quer se encantar?

==


Amor é amor

Sexo é sexo, amor é amor
Você é você, eu sou eu,
Mas eu com você sou mais, sou melhor
Sexo com amor não é só orgasmo

Sexo assim é esplendor




terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Tanto faz se surges de um pórtico
Tanto fez se surges de uma portinhola
O que vale sãos as porventuras
Não precisa fazer poses
Os seus predicados já preexistem
E já me fazem do seu amor partidário
Sem você tudo é periclitante
Sem você tudo é perfunctório
Você nasceu para ser perquirida
E não para perlustrada
Você é uma panaceia
Por você deixei de ser plangente
E passei a ser percuciente
Passionalmente ou platonicamente
Meu amor será perpétuo
Te amo, minha preeminência

==


Você é o meu vinho do Porto
                                                                          .
Com você qualquer vinho é do porto,
Qualquer whisk é legítimo,
Qualquer areia e um pouco de água é uma praia,
Qualquer flor é um jardim bonito,
Com você e por você o sol brilha
Com você toda a lua é de mel

Você é arte de estender tudo com esplendor.
Você é um mundo especial num mundo comum...
Você é, você será sempre

==




segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Sem você sou um babaca
Que só conversa babado
Para mim você é basilar
Venha cá, minha bacana
Transforma-me num batuta

Sem você sou um bacamarte
Que só faz baboseiras
Para mim você é beatitude
Venha cá, minha bem-amada
Transforma-me num bem-aventurado

Não quero frequentar baiucas
Nem relacionar com bacantes
Que me deixam com balanite
Venha, tire-me das bas-fonds

Sem você minha vida é uma bruma
Sem você tudo é bulhufas
Venha, dê um sentido a esse borocoxô
Transforma-me num bem-amado

==


Promessa de amor 
Esperança latente 
Vida ganhando cor

==







domingo, 22 de fevereiro de 2015

Você, eu.

Seu corpo, meus sentidos.
Sua curiosidade, meu essencial.
Seu rosto, meu espelho.
Você, eu.

Paixão carnal, animal ?
Até que não seria mal,
mas afagos loucos seus,
me sucumbiriam e pronto.

Amor platônico, espiritual ?
Esse não é o ideal.
Quero um pouco mais
do que um sentimento fraternal.

Qual ?
Um amor plato-passional,
com carinhos sutis,
prometendo levemente

o tão sonhado amor ideal.

-==

Brinde apaixonado

Uma música romântica
Um vinho gelado
Eu, você
A maior cumplicidade do mundo
O verdadeiro amar
O paraíso não é noutro lugar

==





sábado, 21 de fevereiro de 2015


Soneto do prazer

Acariciar seu belo corpo e
toda a sua zona erógena.
Ser o responsável direto
pela sensação que a estimula.

Ser o impulso, que no seu cérebro,
Incita e provoca a liberação
de toda a sua libido e tesão,
desencadeando sensações.

Alterar seus nervos
em rítmicos ascendentes.
Atingir o ponto mais alto,

chegar ao ápice
e conhecer o paraiso.
Acontecer o seu orgasmo.

==

Devagar, devagarzinho, seus espaços eu preenchia
Fazendo-me de amigo, mas desejando com mais ousadia.
Depois de um longo dia, já compartilhei até do seu cansaço
e que sensação boa quando você disse que lhe trazia alegria.

Já ouvi suas estórias, seus devaneios, percalços e fantasias
e tentava lhe envolver com um pouco do muito que eu lhe tinha:
Era amor, amor, amor. Minha intuição não me mentia.
No fundo, no fundo eu tinha por você, muito mais que simpatia.

Covardia lhe dizer depois
Onde você não mais podia
Soframos os dois
Pela minha covardia

==



sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Ai quem me dera ser como uma borboleta
E viver apenas vinte e quatro horas, mas incendiando a vida.
Mas não. Já vivi 450.000 horas
E a vida é que foi me cozinhando com pouco fogo,
Me fazendo acreditar que sofrer é bom, doer faz parte.
Chega!
Borboletarei!
Não quero saber se terei o daqui a pouco.
Agora eu vivo, agora eu vejo, agora eu vou explodi,
Agora faço o que bem entender.
Ei, você que não gosto, vá à puta que pariu, vai.
Ei, você que amo, agora não adianta fugir, eu vou ter você.
Descobri que “Querer é poder” mesmo,
Hoje eu quero!
Não, não me importa mais o depois,
Não importa se eu não sobreviverei,
Mas agora, pessoas, viverei!
Vida, vida minha, vou matar você de tanto viver.

==

Ímpar

Sem amores;
Cem ilusões.

Cem amores;
Cem ilusões.

Um único amor;
Sem ilusão,
Amor!

==




quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Sou dos Montes, é Claro.


( À minha querida cidade natal)


Sou Montesclarense , cristalino, nato, da gema.
O que sinto é arraigado no peito, não é estratagema.

Reparto amizade, cansaço, até dor,
porque sei que em minha terra
essa fusão  pode gerar amor.

Sou da terra da harmonia, dos contrastes,
das misérias, riquezas ,analfabetismo e grandes artes.

Sou da terra dos guerreiros:
Aroldo, Reivaldo, Mauro, Adilson Cardoso...
Dos saudosos, grandes e maravilhosos
Darcy, Hermes, Cândido, Cyro e tantos outros.

Todo o meu orgulho é da satisfação
que tenho de ser dessa terra.
É um amor de verdade, sem mazelas.
Amor de emoção e coração.
e sinto cumplicidade com ela ao pisar no seu chão.

Ah, cidade! Quando saio de suas fronteiras
É somente por saber que alguém perguntará:
_Você é de Onde?
E eu cheio de orgulho é claro responder:


- Sou de Montes Claros!

==

Quando escrevo a palavra “Montes Claros”, é como se eu já fizesse uma declaração de amor para a cidade que nasci.

Montes Claros não tem som de um substantivo descrevendo um adjetivo, tem som de sentimento gostoso.

Montes Claros é gostoso de falar, de pronunciar,de disseminar.
Mon-tesCla-ros

Montes Claros não é uma cidade, é o refúgio de quem quer vivenciar o significado das palavras amor e cidadania.

Ah, como tenho orgulho de nascido e nunca ter saído desse lugar.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Como sou inocente
Quando penso que não transmito o que sinto
Minto pra mim sem saber
Mas um olhar ordenado pelo coração
Não sabe dissimular
Olhando no espelho ao fundo o retrato dela
No meu semblante percebi
É bobagem me segurar, prender
Por que então não me soltar?
Explicitar isso para o mundo
Não é regra nem dever
Mas deu uma vontade de ao mundo gritar:

EU ESTOU APAIXONADO!

xxxxxxxxxx


Merecimento

Pudesse lhe dar a jóia mais cara do mundo
Pudesse por o mundo aos seus pés
Pudesse tudo que você quisesse
Eu sei que você não pede nada
Você só ama, você enobrece

Mas, ah, se eu pudesse tudo, você merece!

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

O homem que me ensinou viver
      (À Darcy Ribeiro)

As dores físicas do seu câncer,
os prazeres proporcionados por tantas mulheres,
a sua vontade de consertar o Brasil,
A paixão pela política, pelos estudantes, pelos índios
E essa intensidade e a vontade de viver,
Fez de Ama®, Goza®  e Sofre®  , Darcy,
suas marcas registradas.

==

Eletro-selvagens

Pra que telefone? Ninguém liga pra dizer que me ama.
Pra que televisão? Ela não faz virar fantasias meus medos.
Pra que liquidificador? Ele não tritura os meus mais íntimos sofrimentos.
Pra que aspirador? Ele não aspira minhas tristezas.
Pra que fogão? Ela não queima o que tenho pra queimar.
Pra que geladeira? Ela não congela dor.

Pra que...

==






segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Sem dor

Que eu morra simplesmente
sem dor
sem pavor
sem dó
parada abrupta do coração
da respiração
falta de movimento
e fim

xxx


suicídio

um estar afobado
andar sem compasso
tentativa de vida
mas foi projeto abortado

xxx






domingo, 15 de fevereiro de 2015

Sentimento não tem sexo

Sou como uma mulher insaciada
Depois de uma satisfação carnal sem amor
Choro no vazio do depois

xxxxxx

Completude

Ser dois num só
Fundir corpo e alma
Apaixonar
Viver o amor maior
Unificar

xxx








sábado, 14 de fevereiro de 2015


Quero mais

Não quero ser amigo
Não me dê abracinho camarada
Me aperte com gosto
Não me fale palavras de conforto
Murmure algo insinuante, moça
Eu quero é fazer amor com você!

xxx

Ausência

Saudades...
senti,
sem ti.

==









sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Um sentimento ao acordar


Escrever algo sobre paixão
Transbordamento, pura demonstração
Talvez saia desritmado com versos sem rimas
Estrofes sem tanta expressão,
Mas ficando subtendido a intenção
Afinal não é o meu ganha-pão

Já sei, vou fazer uma poesia
Daquelas sem regras e sem simetria
Falar de um grande amor
Do seu, do meu, de qualquer um
Mas do amor, do bem maior, da sensação imprescindível

Que tal?

Mas falam tanto do amor, será que há mais o que falar?
Vou tentar! Sutilmente?,Com eloqüência?
Sei lá! Falar, senti-lo, deixá-lo ficar, voar

Você vai ler, colocar suas palavras no lugar
E sem querer comigo “duetar”
Juntos, nós dois agora
Escrevendo, lendo,
Ei, isso é uma forma de amar
Se tivesse aí um beijo iria lhe dar

Amar é fazer uma carta de amor
Se deliciar com a que recebeu
E querer responder a cada vez que ler

Amar é fechar os olhos, sentir como é forte esse gostar
É chorar de emoção, sorrir e ao mundo querer declarar

Amar é saber que tudo valeu á pena
Que sofremos só para ficarmos maleáveis
Amar é viver, encontrar barreiras
Sorrir, porque sabe que vai ultrapassar

Amar talvez seja essa lágrima que derramo
Lágrima da ânsia de tudo de bom eu querer executar
Amar é sentir que somos poderosos
Podemos perdoar, renovar,  avançar


Viva o dom maior!

==









quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Naturalmente

Pegar palavras sem cuidados
Postá-las sem simetria
Amor, carinho, ternura
Falar de coisas boas
Declarar sentimentos
Fazer boa mistura
Isso é poesia


==


Incompatibilidade

Amor e razão
Sentimentos distintos
Não são inimigos

Mas não andam juntos

==