sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Um sentimento ao acordar


Escrever algo sobre paixão
Transbordamento, pura demonstração
Talvez saia desritmado com versos sem rimas
Estrofes sem tanta expressão,
Mas ficando subtendido a intenção
Afinal não é o meu ganha-pão

Já sei, vou fazer uma poesia
Daquelas sem regras e sem simetria
Falar de um grande amor
Do seu, do meu, de qualquer um
Mas do amor, do bem maior, da sensação imprescindível

Que tal?

Mas falam tanto do amor, será que há mais o que falar?
Vou tentar! Sutilmente?,Com eloqüência?
Sei lá! Falar, senti-lo, deixá-lo ficar, voar

Você vai ler, colocar suas palavras no lugar
E sem querer comigo “duetar”
Juntos, nós dois agora
Escrevendo, lendo,
Ei, isso é uma forma de amar
Se tivesse aí um beijo iria lhe dar

Amar é fazer uma carta de amor
Se deliciar com a que recebeu
E querer responder a cada vez que ler

Amar é fechar os olhos, sentir como é forte esse gostar
É chorar de emoção, sorrir e ao mundo querer declarar

Amar é saber que tudo valeu á pena
Que sofremos só para ficarmos maleáveis
Amar é viver, encontrar barreiras
Sorrir, porque sabe que vai ultrapassar

Amar talvez seja essa lágrima que derramo
Lágrima da ânsia de tudo de bom eu querer executar
Amar é sentir que somos poderosos
Podemos perdoar, renovar,  avançar


Viva o dom maior!

==