sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Ai quem me dera ser como uma borboleta
E viver apenas vinte e quatro horas, mas incendiando a vida.
Mas não. Já vivi 450.000 horas
E a vida é que foi me cozinhando com pouco fogo,
Me fazendo acreditar que sofrer é bom, doer faz parte.
Chega!
Borboletarei!
Não quero saber se terei o daqui a pouco.
Agora eu vivo, agora eu vejo, agora eu vou explodi,
Agora faço o que bem entender.
Ei, você que não gosto, vá à puta que pariu, vai.
Ei, você que amo, agora não adianta fugir, eu vou ter você.
Descobri que “Querer é poder” mesmo,
Hoje eu quero!
Não, não me importa mais o depois,
Não importa se eu não sobreviverei,
Mas agora, pessoas, viverei!
Vida, vida minha, vou matar você de tanto viver.

==

Ímpar

Sem amores;
Cem ilusões.

Cem amores;
Cem ilusões.

Um único amor;
Sem ilusão,
Amor!

==