quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Vivo coisas novas, percorro vários caminhos, saio do convencional. Sou julgado, tachado de irresponsável, disso, de aquilo outro, mas como é gostoso sugar a seiva da vida.

Se eu estiver vivo quando morrer, colocarei na minha lápide assim:

“Aqui jaz quem nunca jazeu antes da vida jazer”

Enquanto vivo, vida de verdade, não apenas estar aqui e rezar as regrinhas baratas.

==

Ora lá em cima, ora lá embaixo, mas nunca no mundinho onde tem um ar respirável para medíocres.


Gosto do desconhecido, do que nunca foi testado, do que não se sabe a dose certa. Nasci para viver num mundo mágico. Despovoado aqui ainda, mas sei de gente que sufocará por aí. Estou aguardando.