sábado, 15 de abril de 2017


O amor seria muito mais que o  óleo lubrificante que lhe manteria movimentando, seria o que lhe transformaria de robô para um ser humano, mas você enferrujou e se deteriorou, pois nem mecanicamente consegue agir mais.

==

Sim, agradecer por ter vivido algo espetacular, mas o choro é de saber que ainda poderia estar sendo, sabe.

==

Sabe quando alguém põe você lá, você até cabe, mas não se sente encaixado?

==

Você me chegou destruída, em frangalhos, toda fragmentada, eu, ainda que meio afoito, mas cheio de amor, acabei por lhe reconstruir e lhe deixar novinha em folha, mas o que fiz depois de lhe ver sorrindo de novo para todos?

Eu mesmo comecei com o processo de lhe destruir novamente.

Ciúmes? Também, mas é algo mais sério, algo insano e sem explicação.

Queremos ver o outro bem, mas bem demais, não.

A gente tem que sentir que o outro precisa da gente sempre.

Imbecilidade? Insegurança? Não! Tara, descontrole, insanidade, loucura...



Nenhum comentário: