sábado, 8 de novembro de 2014

Como sou inocente
Quando penso que não transmito o que sinto
Minto pra mim sem saber
Mas um olhar ordenado pelo coração
Não sabe dissimular
Olhando no espelho ao fundo o retrato dela
No meu semblante percebi
É bobagem me segurar, prender
Por que então não me soltar?
Explicitar isso para o mundo
Não é regra nem dever
Mas deu uma vontade de ao mundo gritar:

EU ESTOU APAIXONADO!

xxxxxxxxxx